Sexta-feira, 6 de Junho de 2008

A mesma história de sempre (same old story...)

...Crise económica, indecisão política.

 

O projecto de uma União Europeia, a nível político, não é um assunto novo. Desde o Projecto para a Paz Perpétua, de Jean Jacques Rousseau (século XVIII), o Plano para uma Paz Perpétua, de Emanuel Kant (século XVIII), ou o Plano para uma paz universal e perpétua, de Jeremias Bentham (século XIX), são demonstrativos da antiguidade da discussão acerca da União Europeia. O grande receio de um Europa dividida e conflituosa, multiplicaram esforços, no mesmo sentido de união, no século passado, como é exemplo disso desde logo o Livro Les États Unis d'Europe, de Wladimir Woytinsky, curiosamente um alemão, ou o Memorando de Briand, onde se proprunha uma espécie de união federal, com claras influências do sistema norte-americano. Outros projectos falhariam ao longo dos anos, como a ComPE, ou Comunidade Política Europeia, em 1954, o Plano Fouchet, que propunha uma União Política confederal em 1960, falhando mais recentemente o projecto para a Constituição Europeia.

 

Neste longo processo de criação da União Europeia, como se verificou, vários momentos têm sido marcados pelo fracasso, mas sem nunca se ter desistido da ideia de uma união forte e produtiva para os estados europeus. Porque terá falhado tantas vezes? Um problema é claro: mostra a história que em tempos de crises económicas é difícil falar-se de solidariedade ou união entre os Estados atingidos - foi o que aconteceu com o fracasso do Memorando Briand, que surgiu na Época da Grande Depressão Norte-Ameicana, ficando aberta a porta para os nacionalismos, que depois levariam à 2ª Guerra Mundial. Outro problema que tem surgido recorrentemente, é a indecisão dos Estados de abdicarem da sua soberania por um bem comum, por uma união, mostrando-se sempre bastante reticentes com qualquer avanço a nível político. Neste sentido, Jean Monnet criaria a integração funcionalista, a integração sectorial, começando primeiro pelo sector económico, o que seria menos polémico, e seria seguida uma postura de integração gradual ou evolutiva, a ideia que se iriam dando passos até um dia se atingir a união federal, o objectivo último.

 

Actualmente, quer-se dar o próximo passo para a união política e criar uma união mais eficaz ao nível dos seus órgãos: por isso é tão importante o Tratado de Lisboa. Mais uma vez, no entanto, o projecto europeu é prejudicado pela crise económica, tal como acontecera com a Grande Depressão de 1929 a 1932. Basta ver o que se passa na Irlanda. Quando se pensava que o problema da indecisão política tinha sido ultrapassado, num país onde existem muitos indecisos quanto a esta questão europeia, muitos têm agora optado pelo Não no referendo ao Tratado de Lisboa, demonstrando assim o seu descontentamento com o que se passa na economia, e colocando mesmo o Não à frente nas sondagens para o referendo da próxima semana.

 

É essencial que as forças politicas irlandesas consigam dar a volta a este problema, pois a Europa vive num impasse. Depois do fracasso da Constituição, este seria o passo seguinte para a União, o passo seguinte para o federalismo, é por isso que é essencial que o processo tenha um final feliz. Mais um fracasso poderia ser um golpe muito forte.

 

Apesar disto, penso que é inevitável que mais cedo ou mais tarde se concretize este projecto. Esperemos que seja agora.

publicado por Luís Pereira às 20:40
link do post | comentar

Sobre nós

Benvindo ao Blog do Núcleo de Estudantes Socialistas da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, local de discussão política e fraterna, à esquerda da indiferença, mas sempre no centro da participação.

Site Oficial do NES/FDL

Site Oficial da JS

Site da FDL

Contribuidores

PS TV

JS TV

Últimas PS

Jovem Socialista

Carregue na imagem para ver o Jovem Socialista número 468

Órgão Nacional de Comunicação da JS

Jornais

Ficha de Militante da JS

Carregue na imagem para sacar a Ficha de Militante da Juventude Socialista

Junte-se ao NES/FDL!

Ficha de Militante do PS

Carregue na imagem para sacar a Ficha de Militante do Partido Socialista

Junte-se ao PS!

arquivos

Setembro 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

participar

participe neste blog

blogs SAPO

subscrever feeds