Quarta-feira, 25 de Junho de 2008

Valerá ainda a pena?!

 

Num dia em que uma das criações de Abril fez novamente história, falo naturalmente da Concertação Económica e Social, outra criação de Abril, a CGTP, não mudou a sua história e, como repetição de uma cassete em que a fita nunca mais acaba, apesar de ser sempre a mesma, recusou mais uma vez juntar a sua assinatura à das dos restantes parceiros sociais.
 
Perante a sistemática intransigência do PCP, desculpem CGTP, em mudar a sua visão conservadora da actual sociedade, os trabalhadores portugueses inscritos em sindicatos representados pela CGTP, nunca terão uma força sindical que os represente no actual Mundo do Trabalho Globalizado e Competitivo. Estes trabalhadores, ao terem uma força sindical com uma visão retrógrada da relação laboral e de toda “economia do trabalho”, verão o seu futuro apenas decidido pelos patrões e pior, por Governos Liberais que mais tarde ou mais cedo chegaram também a Portugal, e que não terão na CGTP um interlocutor minimamente credível e capaz de representar os trabalhadores que integram um mercado de trabalho que cada vez mais competitivo a nível global.
 
Uma revisão ao código do Trabalho que tenta pela primeira vez em Portugal travar a precariedade do Trabalho através de medidas de carácter económico e fiscal às empresas para que estas valorizem a contratação colectiva e de quadros definitivos, com vista a diminuir a contratação a prazo e a “recibos verdes”, a CGTP/PCP com medo de perder a sua base eleitoral e de apoio, os trabalhadores precários, não assinou um acordo que em muita medida protege os trabalhadores mais injustiçados pelo actual Mundo do Trabalho. E, acrescente-se, que do lado do despedimento nada se alterou. Então porque é que a CGTP não assinou o acordo?! Resposta oficial de Carvalho da Silva: “não tivemos tempo para ler as propostas de última hora do Governo!”. Se os outros parceiros sociais viram todas as propostas de alteração, as discutiram e as analisaram, resta concluir que quem da CGTP esteve à frente destas negociações é IMCOMPETENTE!
 
A outra possível conclusão a tirar da atitude da CGTP é admitir que possivelmente, esta estrutura sindical, nada fará na Concertação Económica e Social de um país que queira integrar-se numa Economia Global e ser capaz dentro dela ser competitivo. Esta Competitividade deve implicar por parte dos nossos sindicatos, uma nova forma de olhar o Mundo Laboral.
publicado por Tiago Salgueiro Mendes às 23:27
link do post | comentar

Sobre nós

Benvindo ao Blog do Núcleo de Estudantes Socialistas da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, local de discussão política e fraterna, à esquerda da indiferença, mas sempre no centro da participação.

Site Oficial do NES/FDL

Site Oficial da JS

Site da FDL

Contribuidores

PS TV

JS TV

Últimas PS

Jovem Socialista

Carregue na imagem para ver o Jovem Socialista número 468

Órgão Nacional de Comunicação da JS

Jornais

Ficha de Militante da JS

Carregue na imagem para sacar a Ficha de Militante da Juventude Socialista

Junte-se ao NES/FDL!

Ficha de Militante do PS

Carregue na imagem para sacar a Ficha de Militante do Partido Socialista

Junte-se ao PS!

arquivos

Setembro 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

participar

participe neste blog

blogs SAPO

subscrever feeds