Terça-feira, 20 de Março de 2007

Sentenças




Passando uma breve vista de olhos pelas notícias políticas no site on-line do correio da manhã, destacam-se estas 4 em 5:
-“Santana acusado (pelo Presidente da distrital do PSD/Porto, Agostinho Branquinho) de prejudicar credibilidade”:
- Através do seu líder, o “PSD acusou Mário Lino de faltar à verdade”;
- “Ribeiro e Castro acusa Portas de mentir”;
- “Marcelo Critica Valentim Loureiro”.

A outra notícia era sobre a disponibilidade de Santana Lopes se candidatar à liderança do PSD.
Consciente da parcialidade e do sensacionalismo do jornal em questão, será inegável a veracidade destas notícias. Inocentemente, ou não, comecei a pensar o que é que estas notícias têm em comum. Tudo.
Em primeiro lugar retratam, de uma forma geral, a forma de fazer política no nosso país. A política da mentira, da falta de ideias, da chantagem, da obscuridade, da manipulação, do aleive e da calúnia. São esses senhores que perdem. Pior, é Portugal que fica a perder com políticos assim. Só vem traduzir a falta de oposição ao Governo que existe neste momento. É pena.
Gosto de política. Gosto de debater ideias, mostrar os meus pontos de vista, ser contraposto com outros e mudar a minha posição. Gosto dos valores e dos ideiais inerentes à política. Gosto de ouvir políticos a defender as suas opiniões. A política é, e deve ser, um espaço que visa o bem comum, independentemente das convicções de cada um. Quando essa finalidade não é sequer tentada, chega-se aos meandros podres da política. É esse tipo de política que não gosto, dispenso, e me faz mudar o canal de televisão. É esse tipo de política o factor comum das notícias que referi.
Em segundo lugar, essas notícias fazem pensar numa outra situação, não dissociada da anterior. Fala-se nos regressos de Santana Lopes e de Paulo Portas.
Estes dois regressos à vida activa dos maiores partidos da oposição de Direita, só vêm mostrar a falta de capacidade da Direita em se auto-regenerar e de trazer para os mais altos quadrantes políticos novas pessoas e novas ideias. Neste momento, em Portugal, parece ponto assente que qualquer político com alguma relevância nacional, após algum tempo de afastamento, volte à vida política como que se de um D. Sebastião se tratasse. Já aconteceu recentemente com Cavaco e com Soares. Irá acontecer com Rebelo de Sousa. E já está a acontecer com Santana e com Portas.
Vindo da esquerda, com um olhar de soslaio e um sorriso nos lábios, o meu aplauso.
publicado por Fábio Raposo às 01:29
link do post
De Fábio Raposo a 22 de Março de 2007 às 18:55
Acho que se nota perfeitamente quer nas transcrições, quer no post em si (ex: falta de oposição ao Governo ), quem serão os melhores representantes dessa forma de fazer política.

Um bem haja.
Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Sobre nós

Benvindo ao Blog do Núcleo de Estudantes Socialistas da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, local de discussão política e fraterna, à esquerda da indiferença, mas sempre no centro da participação.

Site Oficial do NES/FDL

Site Oficial da JS

Site da FDL

Contribuidores

arquivos

Setembro 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

participar

participe neste blog

blogs SAPO

subscrever feeds