Quarta-feira, 18 de Abril de 2007

O Auto de Fé




Acho que é intenção de todos os Portugueses de bom-senso começarem a ver a sua situação económica, social e profissional resolvida. Estou mesmo em querer que os desempregados deste país, ao mal remunerados e os excluídos pretendem ver discutidos, em praça pública, os seus problemas.
Mas não, tentem para a próxima ou então mudem de país.
Ao invés das questões de fundo, o luso povo tem uma palavra, que é repetida vezes e vezes sem conta: Independente. Conhece, também, um "filósofo" melhor do que qualquer outro: Sócrates.
E andamos nisto.
Desde que o Público, numa louvável investigação, assim como o Expresso, se lançou numa espiral noticiosa acerca da vida académica do P.M, já nunca mais se discutiu Ota, TGV, Convergência económica e política laboral.
Nunca mais.
Subitamente, o bolso de cada um deu lugar ao Diploma de um só. Do dia para a noite, discutem-se as propinas pagas e deixa de se discutir bolonha. À velocidade de um click, o Inglês técnico é a ordem do dia.
Sendo que é a última vez que falarei deste processo social movido ao Governo (já explico porque é que me refiro ao governo), a culpa é da oposição que se senta à Direita de José Sócrates.
Ninguém no Governo, nem ninguém no P.S. quererá mais esclarecimentos, mais e melhores explicações. É a sua imagem que está em jogo. É do interesse comum lipá-la bem limpa. Parece que nem todos perceberão isso. Exigem-se investigações, martela-se em dados hipotéticos e o que seria a espuma dos dias passa a ser a festa da espuma, onde todos se divertem.
É ridículo, por uma razão de ser muito simples: o que é que acontece se o P.M tiver sido beneficiado? Há alguém que consiga dar uma resposta cabal? O melhor que conseguem (assim como eu) é abrir hipóteses: O P.R demite o Governo? O Governo demite-se? Demite-se José Sócrates e, mutatis mutandis, segue-se o nº2 do partido, invocando-se jurisprudência SanTana Lopes?
Se a resposta a todas estas questões for "não", só resta uma saída: esperar pelos esclarecimentos e exigi-los a um prazo específico. Porque se se pretende atacar todo o Governo, "pegando" pela fragilidade académica do seu líder bem... Será o país que merecemos.
Um bom remédio para acabar com tudo isto está á mão de semear: Sócrates demite-se, recandidata-se, vence, com nova maioria absoluta, como aconteceu com Cavaco, e por mais que falem, a sua legitimidade política sairá mais forte do que antes.
Em Portugal, o poder legislativo consquista-se pela via democrática. É bom que não nos esqueçamos disto.

(Estive fora por razões válidas: FÉRIAS!)
publicado por NES-FDL às 12:48
link do post
De PedroSilveira a 19 de Abril de 2007 às 14:02
Gostei muito do artigo. Grande abraço
Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Sobre nós

Benvindo ao Blog do Núcleo de Estudantes Socialistas da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, local de discussão política e fraterna, à esquerda da indiferença, mas sempre no centro da participação.

Site Oficial do NES/FDL

Site Oficial da JS

Site da FDL

Contribuidores

arquivos

Setembro 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

participar

participe neste blog

blogs SAPO

subscrever feeds