Quarta-feira, 5 de Dezembro de 2007

Vagos pensamentos



Arrendamento a universitários


Os alunos universitários que, tal como eu, estudam longe de casa recorrem ao mercado de arrendamento de habitações para terem um local para residir durante o curso.
Todavia, este “mercado de arrendamento” decorre, na maioria dos casos, à margem da lei. Senão vejamos. Na maior parte dos casos, não existe qualquer contrato de arrendamento, mas, mesmo assim, os senhorios querem que se cumpram as regras tal como se estivesse em vigor um verdadeiro contrato de arrendamento. Mas querem que se cumpram todas as normas de um contrato de arrendamento? Claro que não. Só querem que estejam em vigor as regras que lhes convêm ou aquelas que eles, aproveitando-se da posição privilegiada em que se encontram por serem proprietários, desejam que regulem a situação. Eu, à imagem de muitos outros estudantes que conheço, já vivi situações “hilariantes” na minha relação com os senhorios. Contudo, o espaço que me é reservado para esta crónica semanal é pequeno demais para as descrever.
Este negócio não tem qualquer regulação e é extremamente lucrativo, pois cada quarto na cidade de Lisboa ou arredores é arrendado por um preço que ronda os 200-250 euros. Este rendimento, por ter a referida origem, não é alvo de qualquer tributação fiscal.
Mas este tipo de abusos e de arbitrariedades cometidos por quem arrenda casas tem de acabar! Para lhe por fim é necessário que os estudantes exijam sempre contrato de arrendamento ou hospedajem, conforme os casos, e que se cumpram as regras que este vínculo estabelece para ambas as partes.
publicado por NES-FDL às 23:22
link do post | comentar
4 comentários:
De Anónimo a 21 de Dezembro de 2007 às 00:12
afegao a presidente da Républica...JA, eu quero ser o 1o a subscrever a tua candidatura...
De Fábio Raposo a 12 de Dezembro de 2007 às 02:46
Esta é, sem duvida, uma situação que diz respeito a imensos jovens. Basta pensarmos no caso da nossa Universidade, do nosso curso, da nossa turma...

A regulação e eventual criação de "quartos para jovens" ao abrigo de uma lei, e fazendo o paralelismo das residências universitárias, deve ser pensado para um futuro próximo.
De qualquer forma, é algo que não deve ser feito de ânimo leve, sendo que o principal objectivo seria, não favorecê-lo, mas ajudar o estudante deslocado.
De PedroSilveira a 9 de Dezembro de 2007 às 10:33
Ricardo sem dúvida que este é um tema que interessa a muitos e muitos jovens. E foi por isso que o Governo lançou o programa Porta 65, tendo em vista harmonizar o o mercado do arrendamento por todo o país, nomeadamente estabelecendo uma Renda Máxima.

Isto é diferente de regulação legislativa, é certo. E aí as perguntas do comentador anterior fazem todo o sentido: é certo que se impõe rgulação, mas temos antes pensar em que termos, como pode ser diferenciadora de jovens e em que proporção.

De qualquer modo, hoje abro o DN e encaro com esta desoladora notícia:

http://dn.sapo.pt/2007/12/09/economia/apoio_jovens_exclui_quase_todas_casa.html



Um abraço,

PSilveira
De Carlos Tomé a 8 de Dezembro de 2007 às 14:12
Concordo absolutamente.As prioridades urbanisticas e de politica habitracional devem não so estar na requalificação de habitaçoes mas também na regulaçao do mercado de arrendamento.De qualquer modo que medidas concretas (de regulaçao) propões?

Comentar post

Sobre nós

Benvindo ao Blog do Núcleo de Estudantes Socialistas da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, local de discussão política e fraterna, à esquerda da indiferença, mas sempre no centro da participação.

Site Oficial do NES/FDL

Site Oficial da JS

Site da FDL

Contribuidores

arquivos

Setembro 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

participar

participe neste blog

blogs SAPO

subscrever feeds