Segunda-feira, 18 de Junho de 2007

Sentenças


Certas vezes, quando estou a trabalhar, deparo-me com respostas quase inacreditáveis por parte dos clientes. Não consigo rir porque não me causa qualquer tipo de sentimento humorístico, mas dá que pensar.

- "Olhe, o número de contribuinte é o cartão de utente ou o da direcção-geral de impostos?";
- "Vou dos Açores para Lisboa, tenho de activar o roaming?";
- "O meu telemóvel é um desses novos, cinzentos que abrem e fecham."

São apenas alguns de muitos exemplos. São situações reais, de pessoas reais.
E nós, acostumados a estas novas tecnologias, raramente nos lembramos que existem muitas pessoas que, hoje em dia, e apesar de todos os desenvolvimentos das tecnologias de Comunicação e Informação, continuam sem estudos, com pouca cultura e imensas sem saber ler nem escrever.

Trata-se de algo tão simples... Quando acordamos, olhamos para o telemóvel e vemos as horas e uma mensagem que havíamos recebido. Tomamos o pequeno-almoço e contemplamos a caixa de cereais. Analisamos o horário dos autocarros e saímos porta fora. Demorámos 30 minutos a sair. E lemos, lemos e lemos. Nem nos apercebemos das centenas de vezes que o fazemos diariamente.
E quem não o faz?

Lembro que segundo os últimos censos, a taxa de analfabetismo em Portugal ronda os 9%. Olhando para o número a frio, nunca pensei que pudesse ser tão alta. É quase assustador pensar que uma em dez pessoas não conseguirá decifrar estes caracteres que agora publico.

Não é que as pessoas que desconhecem o que signifique Nokia sejam analfabetas. Mas se falarmos de iliteracia, a percentagem, com certeza, subirá.
Estamos perante o direito de aprender. Esse, deve ser possibilitado a todos, independentemente da sua idade ou da sua condição económica.
Cabe ao Estado assegurar que todas as pessoas possam, pelo menos, saber ler e escrever, premissas básicas para qualquer futura aprendizagem.

Esta sim, seria uma nova oportunidade. Dar oportunidade àqueles que nunca o fizeram, de assinarem o seu nome.
E mesmo que não saiba distinguir o cartão de saúde do de contribuinte, continua a ter o direito de usar o telemóvel.
publicado por Fábio Raposo às 03:46
link do post
Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Sobre nós

Benvindo ao Blog do Núcleo de Estudantes Socialistas da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, local de discussão política e fraterna, à esquerda da indiferença, mas sempre no centro da participação.

Site Oficial do NES/FDL

Site Oficial da JS

Site da FDL

Contribuidores

arquivos

Setembro 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

participar

participe neste blog

blogs SAPO

subscrever feeds