Sábado, 5 de Janeiro de 2008

Dura Lex, Sed Lex


Entrámos esta semana em 2008, um ano de grandes expectativas, de que se espera muito, muitas lutas, muitas vitórias e que só interessa olhar para os desafios, que irão ser bastantes, com muita determinação, motivação e acima de tudo vontade de vencer. Se houve coisas boas de 2007, que sejam para manter neste novo ano. Se houve coisas más em 2007, espero que seja um ano em que se consiga altera-las, mudar para bem melhor, seguir em frente. Eis a palavra chave: mudança.

Falando em mudança, primeiro sinal daquilo que se pode considerar já uma mudança: Clinton que era a favorita fica em 3ª nas primárias, o candidato da mudança, dos jovens, o candidato com o discurso mais coerente e melhor conteúdo, Barack Obama, reúne o maior número de votos e consegue uma vitória histórica que em muito contribui para um cenário que eu espero: Obama candidato democrata às eleições, que se aproximam no próximo ano, nos Estados Unidos da América. E que sinal de mudança seria a América ter o primeiro presidente negro da história...

E não é assim que deve ser? Os melhores, os mais competentes, os mais correctos, os mais esforçados, os mais determinados, os que têm mais vontade de trabalhar, de ajudar, de melhorar as coisas é que devem ter sucesso, devem ganhar, não ao contrário. Seria também isto uma mudança. Espero que este ano as minhas palavras façam todo o sentido...literalmente.

publicado por Luís Pereira às 15:09
link do post | comentar | ver comentários (6)
Sábado, 15 de Dezembro de 2007

Dura Lex Sed Lex



Depois de tanto se defender a independência da Juventude Socialista em relação ao Partido Socialista, não é que a JS demonstra hoje essa atitude? Antecipa-se ao Partido e toma uma posição em relação ao Tratado da União Europeia, dizendo que:

(...)Aberto este novo capítulo na vida da União, a Juventude Socialista entende estarmos perante uma oportunidade irrecusável para debater de forma participada a Europa e o seu futuro. O recurso ao referendo como forma de conclusão do processo interno de ratificação permitirá aproximar os Portugueses do processo de integração europeia, estimulando o debate na sociedade civil e oferecendo um fórum alargado para demonstrar o papel central das instituições e políticas europeias e o dinamismo do processo de integração junto dos cidadãos portugueses.

Até se poderia perguntar se o nosso caro Pedro Nuno Santos andou a ler aqui o blog?

De qualquer das formas, uma atitude bastante compreensível da JS. Sendo que na minha opinião com ou sem referendo este seria um legítimo tratado, as duas posições são aceitáveis, mas, com referendo, existiria, sem qualquer sombra para dúvida, um sentimento de maior participação e aceitação da parte do povo português, exigiria um alargado debate e críticas construtivas ao que este tratado significará na vida de todos, dando-o muito mais ao conhecimento geral, podendo por isto significar uma certa importância o tal referendo à sociedade portuguesa. Agora é esperar para ver. Será que o Partido seguirá as mesmas pisadas, ou melhor, será que o Governo concorda? Ao que parece está para breve o anuncio da tomada de posição do Governo.

Referência final para o importante acordo conseguido em Bali para combater o aquecimento global, uma das maiores ameaças da actualidade à humanidade. É importante agir, e agir rapidamente, com medidas efectivas, não com medidas de papel sem qualquer significado ao nível real. Projecções como as de que em por volta de 2020's zonas do Mundo ficarão sem água devido às alterações climáticas assustam e devem assustar cada vez mais se nada for feito para evitar isso. A atribuição do prémio Nobel da Paz de este ano a um reconhecido senhor desta luta não foi certamente inocente, naquela que deve ser uma luta de consciencialização de todo mundo para este problema que não é deste ou daquele país mas global.

publicado por Luís Pereira às 21:44
link do post | comentar | ver comentários (3)
Sábado, 8 de Dezembro de 2007

Dura Lex, Sed Lex


Com vários assuntos para falar, preferi começar por uma sondagem da SIC sobre a confiança dos portugueses nos políticos e nas várias estruturas políticas ou públicas. Um sintoma comum: a pouca confiança, sendo que o que mais me choca, é a pouquíssima confiança demonstrada na Assembleia da República, um dos mais importantes órgãos de decisão política. Um problema que, não sendo actual, parece perdurar no tempo sem que os políticos consigam alterar esta má imagem da AR e parece efectivamente que pouco fazem para isso. A esperança ficará nas mãos dos jovens políticos e dos futuros políticos, que possam modificar esta situação e melhorar a credibilidade política, a bem da democracia.
Cimeira UE-África. O ponto mais positivo parece-me a vontade de virar a página, esquecer velhos problemas e avançar para o desenvolvimento. O mais importante nesta cimeira é a Europa «em vez de dar o peixe,ensinar a pescar». Não basta dar dinheiro para solucionar os problemas, é preciso ajudar e instruir para que África se torne autónoma, resolva os seus problemas e se torne numa certeza, em vez de uma potência. Para bem do povo africano, para bem da Europa e para bem do mundo, o desenvolvimento de África é essencial. Importante, essencial mesmo, não centrar as atenções nas questões económicas e esquecer as questões sociais. Situações como Darfur ou a grande epidemia da SIDA, exigem da Europa como do mundo, uma rápida intervenção.
Nas eleições para a AAUL, ganhou um colega da Faculdade de Direito de Lisboa: Paulo Pinheiro. Uma vitória merecida, parecia o melhor candidato. Os meus mais sinceros parabéns. Agora não se pode dormir à sombra da bananeira, muito trabalho está por fazer. O principal: alterar o autêntico desinteresse que a Universidade demonstrou pela AAUL, notado na pouca participação na votação. Um trabalho que não se mostra nada fácil, que irá exigir bastante trabalho. Esperamos que o nosso colega consiga demonstrar a importância que a AAUL pode constituir para todos os alunos e que no final seja reconhecido como um excelente mandato.
publicado por Luís Pereira às 20:36
link do post | comentar | ver comentários (2)
Sábado, 1 de Dezembro de 2007

Dura Lex, Sed Lex



Li, há uma semana atrás, que Hillary Clinton tinha ganho um debate televisivo entre os democratas. Até aqui tudo bem, apesar de não ser bem a candidata que eu apoio ou quem eu penso que seria melhor para governar os EUA.

A particularidade que me leva a escrever este texto é que na mesma notícia dizia que o debate havia sido combinado, isto é, as perguntas eram previamente programadas entre o candidato e o apresentador, ou melhor, o moderador. Faz-me confusão este tipo de debate: afinal onde está a verdadeira discussão de ideias? Havendo uma prévia programação de perguntas, não passará isto de uma espécie de filme, com guião e tudo planeado ao mais pequeno pormenor, evitando-se as questões mais difíceis, aquelas que levariam o candidato a uma maior dificuldade de resposta e a uma maior exigência de raciocínio, ou seja, tudo aquilo que serviria para realmente testar um candidato e ver de que material ele é feito: será que tem estofo para o cargo? (a pergunta que teria que ser respondida com base nestes debates públicos). Imaginem só que, antes de uma oral, combinavam com os professores as perguntas e aquilo de que queria falar. Bastante mais fácil, não? Mas será que isso seria melhor para vocês? Também não me parece que seja bom no caso americano. Pior, na parte final da notícia até se acrescentava que o público não podia colocar questões, sendo mesmo uma pessoa do público entrevistada queixando-se que não a deixaram perguntar aquilo que quis e ao invés teve que fazer uma pergunta do genero: como foi o seu fim de semana Hillary? Uma fraca ideia de debate, ou mesmo de democracia, esta. Quem sai a ganhar com isto tudo certamente não é a democracia, quando o facilitismo é prevalecido.

Ainda sobre fraca ideia de democracia, fica a atitude da Câmara do Porto, ao retirar os placards da Juventude Socialista na cidade tripeira e a que a JS respondeu muito bem com uma nota de imprensa que se pode ler no site oficial.

publicado por Luís Pereira às 22:01
link do post | comentar | ver comentários (2)

Sobre nós

Benvindo ao Blog do Núcleo de Estudantes Socialistas da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, local de discussão política e fraterna, à esquerda da indiferença, mas sempre no centro da participação.

Site Oficial do NES/FDL

Site Oficial da JS

Site da FDL

Contribuidores

arquivos

Setembro 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

participar

participe neste blog

blogs SAPO

subscrever feeds